Praia do Laranjal em Pelotas - Turismo no Rio Grande do Sul, Turismo em Pelotas
Praia do Laranjal em Pelotas - Turismo no Rio Grande do Sul, Turismo em Pelotas
Praia do Laranjal, Pelotas, Rio Grande do Sul

Pelotas registrou, entre a noite de sexta-feira e a manhã de ontem, 167 milímetros de chuva – leitura do pluviômetro do Centro –, ultrapassando em mais de 35% a média mensal de setembro, de 123,7 milímetros.

A quantidade de água, acima de qualquer previsão, gerou problemas que exigiram determinação, agilidade e presteza dos serviços públicos. Prefeitura, Defesa Civil (DC) e Sanep mantiveram maquinário e equipes em ação durante a instabilidade e, agora, partem às ruas e estradas para recuperá-las dos danos e prejuízos.

O pluviômetro do Sanep, instalado na barragem do Santa Bárbara, acusou o acumulado de 227,5 milímetros até a noite da quarta-feira, a contar da sexta-feira. O Centro de Pesquisas Agrometeorológicas da Embrapa/UFPel, localizado no campus Capão do Leão, fechou a leitura, às 9h de ontem, acusando 137,7 milímetros no mesmo período. Embora as variações, todos os transtornos foram de grande porte, de acordo com avaliação de titulares de secretarias, do Sanep e da Defesa Civil.

DEFESA CIVIL

O secretário executivo da Defesa Civil de Pelotas, João Artur Nascimento, informa que somente um chamado foi registrado no período de seis dias. Morador do Corredor do Obelisco, Dunas/Areal, pediu ajuda. A água da chuva invadiu casas na localidade. Equipe desobstruiu canalete para facilitar a vazão. Não há desabrigados ou desalojados na cidade.

No Laranjal, de acordo com a DC, a água já está mais baixa. Nascimento informa que já foi restabelecido o acesso à Unidade Básica de Saúde (UBS). Ele aponta a mudança da direção do vento, para Sul, como um dos fatores responsáveis pelo escoamento. A DC acompanha a Secretaria de Saúde (SMS), nesta quinta-feira, em visitas a UBSs e proximidades, para providenciar melhorias no acesso onde for necessário.

   SERVIÇOS URBANOS

A Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui) definiu os locais prioritários para atuação das frentes de trabalho. As turmas de drenagem, caçambas, retroescavadeiras e Mão de Obra Prisional (MOP), dividem-se nos seguintes pontos:

  • Canal da rua 27, divisa entre Getúlio Vargas e Pestano, bairro Três Vendas
  • Rua Oito, Pestano
  • Sítio Floresta
  • Corredor do Obelisco, a partir da Rua 25
  • Recanto de Portugal (ruas Cidade de Santarém e Vila de Ovar)
  • Rua Torres, no Balneário dos Prazeres
  • Vila Verona, no Fragata
  • Rua Francisco Lima, no Areal
  • Rua Paulo Guilayn, no Porto
  • Rua Mauá, ao lado da UBS
  • Rua Augusto Medeiros dos Anjos, no Fragata
  • MOP no Jardim do Prado, Três Vendas

Na quarta-feira, a Ssui atuou no Corredor do Obelisco e nas ruas Torres e Ulysses Batinga, em caráter emergencial, além de outros pontos onde foram necessárias intervenções.

   SANEP

Ações do Sanep, com funcionários e maquinário, foram marcantes para minimizar os transtornos na avenida Espírito Santo e rua 29, no Laranjal, na quarta-feira. A retirada do excesso de vegetação dos canais das duas vias permitiu mais agilidade na vazão das águas.

Na manhã desta quinta, a autarquia atua na desobstrução de sistema na avenida Dom Joaquim. Outras frentes realizam intervenções de desobstrução de caixas de drenagem.

TODAS as administrações regionais e distritais do Município estão em atividade

TODAS as administrações regionais e distritais do Município estão em atividade

   Desenvolvimento Rural

A Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio das administrações distritais, prossegue no levantamento de estragos e prejuízos causados pelas chuvas. As prioridades para atendimento continuam sendo os trechos de deslocamento de pedestres, estradas, pontes e bueiros por onde passam a produção diária de leite e de hortifrutigranjeiros.

Até a manhã de ontem, entre os pontos identificados com problemas, estão as seguintes pontes:

  • Ponte Marta Helena, 7º distrito, Quilombo – interrompida há algum tempo e atualmente em construção, foi atingida pelas águas. A passarela provisória para pedestres está funcionando.
  • Ponte Vila Nova, 7º distrito, Quilombo – encontra-se submersa. A SDR aguarda que o nível da água do arroio baixe, para avaliar os danos e reforçar o aterro nas cabeceiras.

Pontes Salão dos Primos, 4º distrito, Triunfo – a antiga, de madeira, encontra-se submersa; a de concreto, em construção, com a estrutura sobre o vão já concluída, deverá receber o aterro das cabeceiras nos próximos dias.

As estradas das colônias Osório e Py Crespo, no 3º distrito, Cerrito Alegre, acusam problemas de trafegabilidade devido às características do solo da região. Tão logo o tempo retome a estabilidade e o terreno seque, a SDR fará a manutenção e a colocação de cascalho nos leitos.



Fonte: Diário da Manhã | Laranjal

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on tumblr
Tumblr
Would you like to receive notifications on latest updates? No Yes