Praia do Laranjal em Pelotas - Turismo no Rio Grande do Sul, Turismo em Pelotas
Praia do Laranjal em Pelotas - Turismo no Rio Grande do Sul, Turismo em Pelotas
Portal Praia do Laranjal - www.PraiaDoLaranjal.tur.br
Praia do Laranjal, Pelotas, Rio Grande do Sul

Outro ano se inicia sem definição para as áreas do Pontal da Barra e EcoCamping, que devem ser transformadas em Unidades de Conservação Permanente no Laranjal.

A prefeitura fechou em definitivo o EcoCamping Municipal em 2018, situado na Praia do Totó. A área de sete hectares às margens da Lagoa deve abrigar a primeira Unidade de Conservação Ambiental (UCA) de Pelotas.
Segundo o secretário de Qualidade Ambiental (SQA), na opinião da prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) a gestão de um camping não é atribuição do município, e para isso, foi solicitada a elaboração de um plano para uso da área.

A área que pode ser considerada resquício de Mata Atlântica, passou por análise dos técnicos da SQA. “O local possui vocação para preservação, turismo ecológico e recreação” afirma Garcia. Segundo ele, a população poderá interagir com a natureza, mas sem área de acampamento.
A criação da unidade depende de aprovação de legislação específica na Câmara, e somente após isso, será realizado um plano específico de uso do local.

O Camping que foi administrado pela Estação Rodoviária de Pelotas (Eterpel), foi interditado em 2014, devido a inexistência de regramento de destinação de resíduos sólido e falta de licença ambiental.
O turismo ecológico, que poderá ser desenvolvido no local, é uma atividade educativa que promove a orientação ambiental, identificação de espécies, trilhas. A Unidade de Conservação qualifica o município a acessar recursos estaduais e federais, para manutenção e desenvolvimento de projetos e atividades.

A área de 845 hectares do Pontal da Barra tem sofrido, há décadas com os impactos da urbanização. A exploração imobiliária avança e as áreas de banhado são engolidas, com isso, se são perdidas áreas de encharcamento que servem de esponja para drenagem e ajudam a evitar alagamentos nas chuvas intensas. A cada pedaço devassado, habitats de espécies nativas desaparecem. Sítios arqueológicos também ficam sob risco.

Antônio Carlos Soler não poupa críticas à prefeitura dizendo que já houveram diversas oportunidade de concretizar o projeto. “Não vejo a SQA funcionando para além do despacho de licenças e autorizações, com preocupações restritas ao mercado”, afirma Soler.

O QUE DIZ A SQA?

De acordo com o secretário de Qualidade Ambiental (SQA), Eduardo Schaefer, por se tratar de uma área de preservação permanente sob domínio público, a viabilidade de tornar o local uma Unidade de Conservação (UC) é oportuna e adequada. A SQA irá retomar as discussões sobre a transformação da área em UC. Contudo, há necessidade de revisão dos limites da área pública do Camping e seu georreferenciamento.

Ainda segundo Schaefer, nas próximas semanas uma equipe técnica da Secretaria fará uma vistoria no local, com o objetivo de retomar as ações de criação da UC, conforme cronograma de trabalho. O secretário também esclarece que necessário uma legislação específica e uma estrutura organizacional interna para elaboração de projetos e gestão das Unidades de Conservação municipais. “Temos que pensar na sustentabilidade ambiental daquele local, que deve enfatizar a proteção da flora e da fauna com ecoturismo e educação ambiental”, destacou o gestor.

A criação da Unidade de Conservação do Pontal é uma ação importantíssima para proteção ambiental daquele ecossistema. O Secretário admite que o executivo não terá condições de arcar sozinho com os custos para implementar as unidades. Os planos são buscar recursos junto ao governo federal.

The post UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NÃO SAEM DO PAPEL appeared first on Jornal do Laranjal.



Fonte: Jornal do Laranjal

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on tumblr
Tumblr