Praia do Laranjal em Pelotas - Turismo no Rio Grande do Sul, Turismo em Pelotas
Praia do Laranjal em Pelotas - Turismo no Rio Grande do Sul, Turismo em Pelotas
Praia do Laranjal, Pelotas, Rio Grande do Sul

Um morador do Barro Duro está transformando sonho em realidade. Antônio Girão de 50 anos, mais conhecido como “Guto”, é o criador da Geloteca, a geladeira colocada na Praça Aratiba lotada de livros para matar a fome de leitura da comunidade.

Em distanciamento social, o projeto de Guto prevê a inclusão e a aproximação de pessoas. Em uma esquina da avenida Minas Gerais, onde havia lixo acumulado ele encontrou espaço para instalar o ateliê de cerâmica, forno para queimar as peças, e ainda, uma pequena horta comunitária. ” O pessoal vem aí, uns trazem algumas coisas, outros levam alfaces, levam temperos, uns trazem mudas, outros trazem sementes” relata Girão dizendo que é através da participação comunitária que o espaço ganha valor e é respeitado.

Segundo ele as etapas evoluem devagar, ainda mais, em tempos de pandemia. ” Queremos oferecer um momento de terapia para as pessoas. Um momento de encontro. As oficinas acontecerão aos finais de semana começando pela retirada e moldagem do barro, até a queima da cerâmica” explica. Os trabalhos da oficina serão desenvolvidos em duplas, com limite de participantes de acordo com os horários vagos.

A reportagem do JL esteve no Barro Duro para conhecer o projeto que resgata o nome do bairro: “Barro Duro”. Ele está testando um modelo de forno para queimar cerâmica. “Os materiais estão aí, barro (argiloso) para cerâmica e galhos para queimar. Nenhum dos dois falta em nossas ruas”, explica o morador que vem desenvolvendo esta e outras atividades com a finalidade de envolver crianças e jovens em atividades produtivas e educativas.

Segundo Guto, o barro é utilizado na fabricação de peças para resgatar a cerâmica indigêna e afrodecendente, com objetivo de chamar atenção para o meio ambiente. “O que precisamos e temos de mais urgente é subsituir as badejas de papelão que estão sendo usadas nas oferendas por bandejas de barro duro”, relata o morador lembrando dos elementos poluentes deixados na natureza, como resíduos de alumínio e plástico.

Guto pede a instalação de Unidade de Conservação para o Balneário dos Prazeres, para que sejam estabelecidas normas de uso dos espaços públicos. Onde já estão sendo desenvolvidos três passeios ecológicos, do projeto Turistrilha.

“O turismo ecológico não é novidade, mas era algo que acontecia voluntariamente, sem pontos de referência”, com isso, Guto faz publicações nas redes sociais mostrando as belezas que considera fora do comum, estimulando o turismo ecológico e a sustentabilidade. “Viamos o meio ambiente pedindo socorro”, e a solução é o projeto de ecoturismo e educação ambiental que desperte um sentimento de pertencimento e amor ao lugar.

Antônio oferece aos visitantes um resgate histórico digno de guia turístico, indicando a origem do nome dos balneários, as beleza das naturais como as figueiras centenárias, a crença das famílias pela religião católica e do povo por matrizes africanas.

TRILHAS GUIADAS GRATUITAS

Trilha da terceira idade – mínimo impacto
300 metros – 15 minutos

Trilha do Totó – mínimo impacto – 500
metros – 30 minutos (até jazida de barro)

Trilha da Estância – médio impacto
(erosão e mata) – 1200 metros – 1 hora

The post BARRO DURO: RESGATE CULTURAL COM FORNO DE CERÂMICA appeared first on Jornal do Laranjal.



Fonte: Jornal do Laranjal

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on tumblr
Tumblr
Would you like to receive notifications on latest updates? No Yes